Loading...

Caburé quer vingar no futebol para realizar sonho do pai, vítima da COVID-19

A parada dos treinos e a suspensão das competições são lamentadas por todos no meio do futebol de base durante a pandemia. No entanto, as vítimas diretas e indiretas da COVID-19 podem fazer com que tudo isso seja um detalhe. No caso de Caburé, jovem de 18 anos, o futebol parou ao perder o pai para o vírus.

Caburé e Osvaldo,, pai que tinha como sonho ver o filho no futebol profissional. Foto: Arquivo Pessoal

Rondoniense de Vilhena, o atacante de treinava no Clube de Futebol Revelação, de Araras-SP, e se preparava para a disputa da Copa Ouro Sub-20, quando a notícia da morte de seu pai chegou. O caminhoneiro Osvaldo Cardoso Farias faleceu na última segunda (29) após não resistir às complicações da COVID-19, enquanto estava internado em Lucas do Rio Verde, interior do Mato Grosso.

Caburé deixou o interior de São Paulo e partiu rumo a Rondônia para o sepultamento do pai, realizado nessa quarta (31). Em entrevista exclusiva ao DaBase.com.br, ele falou sobre a forte relação com o pai, companheiro e principal incentivador.

“Ele era um pai sempre presente, um cara honesto, deixou um legado para ser seguido. Homem trabalhador, nunca deixou faltar nada. Era caminhoneiro, podia contar com ele para tudo”.

O sonho de Luiz Felipe Cachedo Farias, mais conhecido como Caburé, começou aos nove anos, quando ele jogava nas ruas de Vilhena. De lá, ele passou para a escolinha do América e teve a primeira oportunidade no Mirassol, em 2018, após passar em testes.

Caburé defendeu o Vilhenense na última Copa São Paulo. Foto: Arquivo Pessoal

O garoto voltou à cidade natal no ano seguinte e se destacou na Copa São Paulo do ao passado, disputando dois jogos pelo Vilhenense. Suas atuações chamaram a atenção da Chapecoense, que o levou para Santa Catarina no decorrer da temporada.

Atacante que também pode atuar no meio, Caburé é veloz e tem no drible rápido uma de suas principais características, assim como suas inspirações, Neymar e Mbappé. Mas para voltar a mostrar esse talento, o jovem precisa de um clube.

Pensando nisso, foi lançada uma campanha nas redes sociais em busca de novas oportunidades, Um dos organizadores do projeto, Josiel Silva explicou como surgiu a ideia.

“O Caburé ficou sabendo que o pai foi acometido pela COVID-19, estava entubado. Tentamos uma campanha para comprar uma injeção muito cara, fizemos campanhas, não atingimos a meta, e ele faleceu. O pai colocava sustento em casa, mantinha o filho. O garoto me mandou um áudio, dizendo que ia parar de jogar e arrumar um trabalho para sustentar a casa. Aí criamos essa campanha para ver se algum clube dá essa oportunidade, até porque ele é muito bom de bola, jogou a Copa São Paulo”, explicou.

Buscando novas chances e tentando recolocar a vida nos trilhos, Caburé não desiste do sonho, compartilhado pelo pai. Ele encerra dizendo que tentará seguir a carreira por ele e, principalmente, pelo seu maior companheiro.

“Agora vivo dois sonhos. Realizar o sonho do meu pai, que era me ver como jogador profissional, e realizar o meu, que é ser jogador”, concluiu.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...