Loading...

Treinador denuncia suposto caso de racismo na Caldas Cup: “Fecha o preto”

Um suposto caso de racismo ocorrido nesta quinta (17), na Caldas Cup, competição de futebol de base disputada em Caldas Novas-GO, foi denunciado nas redes sociais. O jovem Luiz, de 11 anos, aparece em um vídeo chorando e acusando o treinador do time rival de chamá-lo de preto.

Luiz denunciou caso em vídeo publicado nas redes sociais. Foto: Reprodução/ Instagram

“Tinha um aqui, o zagueiro, e eu estava no meio deles. Aí o outro cara (técnico do time adversário) estava vindo aqui toda hora e falando ‘fecha o preto, fecha o preto’, Aí eu guardei para falar com os pais no final”, disse Luiz no vídeo gravado e divulgado pelo treinador de sua equipe, o Uberlândia Academy, Adriano Santos.

O jogo da escolinha de Uberlândia, cidade do Triângulo Mineiro, era contra o Instituo S. E. T. e terminou com o placar de 3×1 a favor de seu time Em contato com o DaBase.com.br, Adriano relatou que não falou com os membros da equipe adversária, pois foram disputados dois jogos seguidos, mas que um pai que estava presente no local viu o jovem saindo de campo ao fim do duelo e o procurou.

“Nós chamamos a Polícia, fizemos um B.O., tentamos resolver de forma amigável, pelo menos um pedido de desculpas. Eles, lamentavelmente, postaram que a gente praticou racismo contra o técnico que nem negro é, uma mentira, que manipulamos a criança. Mas o Luiz está bem, os pais estão chegando, pedi para que eles viessem, participassem da entrevista, da audiência, nós como escola vamos dar todo o suporte”, detalhou.

Adriano explicou as próximas medidas a serem tomadas.

“O Fórum só volta com as atividades em 11 de fevereiro. O Alberto (advogado) vai entrar com um processo no Ministério Público daqui, amanhã teremos uma audiência na Vara e Infância, e os pais dele vão chegar e vão conosco. O Luiz está bem, estamos em uma pousada, ele está com os garotos do time”, explicou.

Por fim, Adriano conta que Luiz fez um grande esforço para participar da competição, mas que ele está bem e tem forças para superar isso.

“O Luiz vendeu rifa pra estar aqui, os pais estão se separando, ele tem uma dificuldade grande nesse período. Mas é um menino bom forte, tem qualidade, e estamos tentando ajudá-lo”, concluiu.

Instituo S. E. T. defende profissional

Em suas redes sociais, o Instituo S. E. T. disse que repudia o racismo, mas defende seu profissional (veja a nota completa no fim)

O Instituto Set é totalmente contra QUALQUER atitude Racista ou termos e falas que configure crime de Injúria Racial…! Mesmo assim, um dos membros de nossa Comissão Técnica foi acusado injustamente de ter cometido crime de INJÚRIA RACIAL. O crime teria supostamente acontecido ontem em partida válida pelo @CaldasCup na categoria Sub 11, e divulgado em redes sociais pela equipe do Uberlândia. No entanto, trata-se de uma inverdade absurda, utilizada com a finalidade precípua de confundir e de denigrir a imagem de nosso Instituto e da comissão organizadora deste grande torneio de futebol Society”, pulicaram.

Organização se manifesta

A Caldas Cup também repudiou o caso.

“A organização da Caldas Cup vem em NOTA dizer que repudia qualquer atitude racista ou discriminatória ocorrido dentro ou fora do evento. Afirmamos que não pactuamos com qualquer atitude discriminatória que venha a ser cometida na competição, independente de quem venha comenter tal ato. A organização estará sempre presente para que os fatos sejam apurados pelas autoridades competentes para que a diferença de cor seja só na camisa”, escreveram.

Confira a nota completa  do Instituo S. E. T.

NOTA DE REPÚDIO E DE ESCLARECIMENTO

O Instituto Set é totalmente contra QUALQUER atitude Racista ou termos e falas que configure crime de Injúria Racial…!
Mesmo assim, um dos membros de nossa Comissão Técnica foi acusado injustamente de ter cometido crime de INJÚRIA RACIAL.
O crime teria supostamente acontecido ontem em partida válida pelo @CaldasCup na categoria Sub 11, e divulgado em redes sociais pela equipe do Uberlândia.
No entanto, trata-se de uma inverdade absurda, utilizada com a finalidade precípua de confundir e de denigrir a imagem de nosso Instituto e da comissão organizadora deste grande torneio de futebol Society.
O Fato é que o jogo ocorreu normalmente. A nossa equipe foi derrotada por 3×1 pela equipe do Uberlândia, e nada de anormal ocorreu durante a partida. Tanto é verdade, que os árbitros NÃO RELATARAM NENHUM FATO EM SÚMULA QUE CORROBORASSE com a leviana acusação.
No entanto, após a partida, nossa comissão técnica que é 90% AFRO-DESCENDENTE, foi chamada pelo coordenado Alexandre novamente ao campo, e nos foi questionado se um membro da comissão técnica havia ofendido o jovem atleta.
De pronto respondemos que ninguém da comissão sequer havia falado com algum jogador da equipe adversária e nem muito menos lhes foi proferida qualquer palavra de cunho racial.
Diante disso e não satisfeito, o representante da equipe do Uberlandia Academy ameaçou de morte um dos membros da comissão técnica, que é negro, quando assim gritou: “Se vc for lá em Uberlândia vc não sai Vivo de lá seu Preto Safado”. Isso sim é crime. Na verdade dois crimes: de ameaça e de INJÚRIA RACIAL…e com um detalhe, foram cometidos na presença de várias testemunhas.
Com ânimos exaltados, a força Policial foi chamada par averiguar os fatos e ambas as partes foram direcionadas pra delegacia de polícia local.
Após intensas discussões, as partes, já mais calmas e acompanhadas por seus respectivos advogados, acharam por bem encerrar a questão ali mesmo por meio de uma composição em que se lavrou um Termo (RAI), sem qualquer implicação criminal para ambas as partes.
Portanto, ficamos surpresos com a publicação do vídeo e do texto que o acompanha, pois já havíamos dado por encerrado

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...