Loading...

Técnica Simone Jatobá avalia período de treinos da seleção feminina sub-17

A seleção brasileira feminina sub-17 encerrou um período de quatro semanas de treinos na Granja Comary, em Teresópolis, na última quarta (99). A preparação marcou o retorno das atividades após cinco meses de paralisação devido à pandemia do novo coronavírus.

Seleção encerrou período de treinos na Granja Comary. Foto: Laura Zago/ CBF

As atletas se apresentaram no dia 12 de agosto seguindo uma série de protocolos de segurança. Após um longo período de inatividade, o maior desafio foi a recuperação física. A técnica Simone Jatobá explicou como foi o trabalho da comissão técnica em entrevista ao site oficial da CF.

“Esse processo de retomada foi um pouco difícil, porque as atletas estavam cinco meses paradas. Quando você começa um trabalho, você realmente vê muita diferença. Por exemplo, a gente treinou três dias entre exames e trabalho físico. E no quarto e quinto dia elas estavam exaustas, com dores até no cabelo (risos). Então você vê que o processo é muito mais lento, temos que ter essa compreensão. Esse sentimento de pisar no freio, de reavaliar algumas coisas”, analisou.

Durante o período sem treinos presenciais, a comissão técnica fez reuniões virtuais frequentes para detalhar o planejamento e manter a observação das atletas. Além da questão física, um fator preponderante na ausência de jogos foi o trabalho mental. A força das atletas foi elogiado pela treinadora.

“Antes de chegarmos aqui na Granja, a gente já estava em um período com reuniões, no mínimo, cinco vezes na semana. Com a comissão sempre colocando seus pontos, dizendo no que poderíamos melhorar, quando chegássemos aqui, o que poderíamos fazer. Foi muito bom para as atletas, estão se conhecendo melhor psicologicamente. Foi muito bacana e válida essa experiência que estamos tendo nesse período difícil”

Na sexta convocação da técnica Simone Jatobá, a equipe pôde evoluir também tática e tecnicamente. A seleção, que recebeu a visita de Bia Sundhage, treinadora do time principal, seguiu a preparação para o Sul-Americano em busca do crescimento coletivo e o desenvolvimento do modelo de jogo.

“É extraordinário (ver a evolução técnica delas). Em alguns treinamentos, como posse de bola e conservação, que a gente via no começo de uma forma. Mas hoje, quando a gente pega um vídeo ou vê um coletivo, vemos realmente essa transição toda, essa calma, essa conservação bacana que a gente precisa para a progressão. Tudo isso é muito legal porque a gente vê que os treinamentos têm dado resultado”, concluiu.

A seleção brasileira sub-17 disputará o Sul-Americano entre os meses de novembro e dezembro, no Uruguai. O torneio será classificatório para o Mundial da Índia, previsto para fevereiro e março de 2021.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...