Loading...

#TBT: atacante valoriza força do grupo do Corinthians campeão da Taça BH 2015

Quinta-feira é dia de relembrar o passado no #TBTDaBase. Há cinco anos, uma geração que viria a dar frutos ao time profissional já rendia títulos na base. Comandados por Pedrinho e cia e treinada por Márcio Zanardi, a equipe sub-17 do Corinthians conquistou a Taça BH em 2015.

Miullen foi campeão da Taça BH 2015 com o Corinthians. Foto: Régis Melo

Com uma campanha consistente, o Timãozinho foi para o Sul de Minas buscar seu primeiro título após o vice ainda na terceira edição, em 1987. Com uma geração que já havia sido campeã paulista em todas as categorias nos anos anteriores, o time mostrou a força do grupo vencedor.

Essa característica é uma das mais lembradas por Miullen. Camisa 9 corintiano na competição, ele valorizou a confiança que o elenco tinha. “Minhas lembranças são todas do nosso grupo. Estávamos todos no melhor momento e éramos muito unidos. Foi um campeonato que sentíamos que ganharíamos desde o começo”, comentou.

O elenco alvinegro contava com jogadores de destaque no futebol profissional atualmente. Nomes como Pedrinho, Léo Santos e Carlos Augusto seguem no clube, acumulando títulos e convocações para as seleções de base e olímpica, além de Léo Jabá, que também deu frutos econômicos. Mesmo com tanto sucesso, Miullen destaca que os companheiros daquela equipe ainda são grandes amigos.

“Esses três caras citados (Pedrinho, Léo Jabá e Léo Santos) são grandes amigos meus até hoje e conversamos sempre. Acho que o melhor desse grupo é que vários cresceram no futebol, mas ninguém mudou com ninguém, mesmo alguns tendo mais destaques do que outros. A amizade continua a mesma”, ressaltou o atacante.

Para Miullen, a Taça BH também foi uma competição diferente. Voltando de lesão, ele começou o torneio como titular, mas perdeu espaço no decorrer dos jogos. Apesar disso, ele diz que o torneio serviu de aprendizado em sua carreira.

“Esse campeonato foi importante paro meu crescimento num todo. Eu estava voltando de lesão e tinha muita expectativa em cima de mim. Foi ali que eu aprendi que você nunca vai ser maior que o grupo”, falou o camisa 9, que deixou o Corinthians anos depois para acertar com o Londrina, onde foi artilheiro da Copa São Paulo de 2018 e segue como profissional atualmente.

Miullen foi companheiro de Pedrinho, Léo Jabá e Léo Santos no Corinthians. Foto: Diego Ribeiro

A CAMPANHA

Sediado em Guaxupé, pequena cidade do Sul de Minas Gerais, o Corinthians iniciou a competição no Grupo 6. Diante dos donos da casa, a equipe paulista estreou com goleada: 7 a 0 sobre a Esportiva. O placar elástico se repetiu na rodada seguinte, com vitória por 4 a 0 sobre a Ponte Preta.

A única derrota do Timãozinho na Taça BH aconteceu na terceira rodada, quando a equipe perdeu para o Figueirense por 1 a 0, Mas a recuperação veio na última rodada da primeira fase, com triunfo por 3 a 0 sobre o Fluminense e classificação para a próxima fase.

O mata-mata, que marcou a consistência defensiva corintiana, começou com superação. Contra o Internacional, pelas oitavas de final, o time paulista perdeu Renan Borges, expulso no início do segundo tempo. Com um a menos, a equipe buscou a vitória aos 39 minutos da etapa final, com Lucas Gabriel. O jogo ainda teve mais uma expulsão de cada lado após o gol, deixando o Corinthians com nove em campo até o apito final.

Também não faltou superação nas quartas de final. Diante do Atlético-MG, um dos donos da casa, o Corinthians saiu atrás do placar já no segundo tempo, em falha do goleiro Filipe. Léo Jabá empatou e o duelo foi para os pênaltis. Nas cobranças, o camisa 1 corintiano pegou as três batidas atleticanas – todas no seu canto esquerdo – e garantiu a vitória por 3 a 0 e a classificação às semifinais.

Depois de tantos obstáculos, a semifinal guardou uma grande apresentação. Goleada sobre o Avaí por 4 a 0 com gols de Pedrinho, Rafael Bilu, Léo Jabá e Léo Santos e vaga na decisão, diante do Flamengo.

E mais uma vez problemas ameaçaram o título corintiano, agora na decisão. Em um primeiro tempo pegado, Rafael Bilu e Samuel foram substituídos devido à lesões. Mas a solução para  o jogo estava nessas mudanças. Fabrício Oya, que veio do banco, marcou dois gols em quatro minutos, no início do segundo tempo. O Flamengo descontou na sequência, mas não conseguiu alterar o placar final. Vitória do Corinthians por 2 a 1 e festa alvinegra em Sete Lagoas.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...