Loading...

Sued Lima analisa momento do Sport Recife e do futebol de base brasileiro

Em meio à crise econômica vivida desde a temporada passada e o seu agravamento com a pandemia do novo coronavírus, o Sport Recife demitiu grande parte dos funcionários das categorias de base. Com isso, apenas quatro profissionais seguem no clube, encarregados de comandar todo o trabalho.

Sued Lima segue na comissão técnica do Sport. Foto: Anderson Freire

Com os desligamentos, a nova comissão técnica é composta por César Lucena, que se manteve como treinador do sub-20, Sued Lima, então técnico do sub-17 e agora auxiliar de Lucena, além do preparador físico Leandro Duda e Givanildo, massagista que atuava na equipe sub-15. Os quatro profissionais dirigirão as equipes sub-20 e sub-17 de forma conjunta no retorno das atividades. Já os times sub-13 e sub-15 só voltarão após as categorias principais, sem uma previsão de equipe de trabalho.

Um dos remanescentes, Sued Lima foi “promovido” para a categoria sub-20. Ele lamentou a situação, mas compreendeu os motivos do Sport. “Ficamos tristes. O grupo da base estava junto a um bom tempo. Porém, todos saíram conscientes das dificuldades que as empresas enfrentam hoje. São excelentes profissionais e logo serão absorvidos pelo mercado”, disse.

A crise vivia pelo clube comprometeu, principalmente, as categorias menores. Além de ficarem sem comissão técnica, as equipes sub-13 e sub-15 já vinham sofrendo com a falta de recursos, tendo dificuldades para participar de competições. Sued fez questão de elogiar a estrutura oferecida pelo clube, mas reconheceu as dificuldades.

“O Sport sempre nos deu totais condições de realizarmos bons trabalhos. Mas a falta de recursos compromete principalmente a participação em competições não oficias nas categorias menores (13 e 15). Mesmo assim, o clube ainda esteve presente nas principais”, relatou.

Outro motivo para as demissões no Leão foi o cancelamento das competições de base em Pernambuco, anunciado pela Federação na última semana. O auxiliar criticou a decisão que, para ele, foi precipitada, já que o formato dos torneios possibilitaria uma disputa ainda neste ano. “As competições são primordiais para o desenvolvimento dos talentos. O campeonato pernambucano, em alguns casos, é a única competição vivenciada por alguns clubes”, comentou.

Apesar do momento, Sued Lima vê o futebol de base no Brasil em constante evolução. “Estamos numa crescente. Os brasileiros sub-20 e sub-17 são competições de nível altíssimo, porém ainda restrita aos clubes bem posicionados no ranking. Penso que poderiam ter mais jogos na categoria sub-17 e que ambas as competições pudessem atingir um maior número de participantes. A mudança na Copa do Brasil (20 e 17) agradou demais. Premia os trabalhos que são feitos pelos clubes em seus estados. Precisamos de competições desses formatos também na categoria sub15”, analisou.

Sued Lima chegou ao Sport em 2014 após trabalhar no futsal com as categorias iniciais e ser técnico do sub-17 e auxiliar do profissional no América-PE. Ele comandou o sub-13 rubro-negro no ano inicial e passou pelo sub-15, em 2015 e 2016, até chegar ao sub-17, onde trabalhou nos últimos três anos. Somando títulos pernambucanos em todas as categorias, o novo auxiliar faz questão de valorizar a formação de atletas.

“Tivemos algumas grandes conquistas a nível estadual e regional. Mas a satisfação maior é ver as gerações que tive o prazer de contribuir na formação a fazer as primeiras aparições no elenco profissional”, concluiu.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...