Loading...

Saiba como e onde estão os artilheiros do Carioca Sub-17 desta década

Ser artilheiro de um campeonato sub-17 não é, em hipótese alguma, garantia de sucesso na sequência da carreira e chegada com status ao profissional. Apesar de ser um bom cartão de visitas, também pode não atestar a qualidade do jogador em questão quando a competição é um Estadual, devido ao nível destes torneios.

John Kennedy foi o artilheiro do último Estadual sub-17 (Foto: Mailson Santana – FFC)

Ainda assim o DaBase traz para você a relação dos maiores goleadores do Campeonato Carioca da categoria sub-17 nesta década (a partir de 2011) e a sua situação atualmente.

2011 – Erik (Vasco da Gama) = 16 gols
Centroavante clássico, havia começado no sub-15 do Gigante da Colina, em 2009, mas logo em 2012 foi para o sub-20 do Guarani. Passou também pelo Palmeiras (sub-20 e profissional) e Tombense, que o emprestou para Santa Clara-POR, Mirassol e Red Bull Brasil. Em 2017 acertou com o Desportivo Brasil. Em seguida esteve no XV de Piracicaba, Alverca-POR e este ano veste a camisa do Primavera.

2012 – Douglas Baggio (Flamengo) = 46 gols
Ficou no rubro-negro até 2017, sendo inclusive o artilheiro do Estadual sub-20 em 2013 e vice em 2014. Acabou emprestado para Luverdense (duas vezes) e Ceará. Em 2018 foi para o Mirassol, acertando no mesmo ano com o Boa Esporte. Em 2019 esteve no Brasil de Pelotas e desde o começo do ano atua pelo Santo André.

2013 – Renato Kayzer (Vasco da Gama) = 23 gols
Ficou no Gigante da Colina até o ano passado, mas já havia sido emprestado a Oeste, Portuguesa, Villa Nova, Ferroviária, Tupi e Atlético Goianiense. Adquirido pelo Cruzeiro, foi repassado a Ponte Preta e Chapecoense, em 2019, e agora em 2020 ao Atlético Goianiense, onde vem bem, com sete gols em dez jogos disputados.

2014 – Caio Monteiro (Vasco da Gama) = 28 gols
Ainda tem vínculo com o clube cruzmaltino, onde estreou no profissional em 2016. Ano passado foi emprestado ao Paraná Clube e em 2020 veste a camisa do Boavista, mas ainda não entrou em campo oficialmente pelo Verdão de Saquarema.

2015 – Hugo Borges (Vasco da Gama) e Talles (Fluminense) = 20 gols
Hugo da Conceição Borges ficou no Gigante da Colina até o ano passado, fazendo ótima Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2018, quando foi adquirido pelo Corinthians. para atuar no time de aspirantes. Em março deste ano o alvinegro paulista o emprestou para o Jorge Wilstermann-BOL, que disputa a Libertadores da América.
Talles Brener de Paula chegou ao Tricolor das Laranjeiras justamente em 2015, vindo da Inter de Limeira. Em 2017 foi emprestado ao Mirassol, onde ficou em definitivo até o ano passado. Emprestado ao Noroeste, em 2019, ficou livre e acertou com o Vila Nova, em 2020.

2016 – Lincoln (Flamengo) = 21 gols
Com passagem pelas seleções brasileiras sub-15, sub-17 e sub-20, o centroavante de 19 anos segue no rubro-negro, já incorporado aos profissionais desde 2017, tendo participado do vitorioso ano de 2019, com título estadual, brasileiro e sul-americano.

2017 – Vitor Gabriel (Flamengo) e Yuri César (Flamengo) = 15 gols
Vitor Gabriel Claudino Rego Ferreira ainda pertence ao rubro-negro, que o emprestou em janeiro deste ano para o Sporting Braga-POR, com vínculo até junho de 2021.
Cria da Gávea, Yuri César Santos de Oliveira Silva foi emprestado este ano para o Fortaleza, onde começou bem até a parada em função da pandemia do novo coronavírus: dois jogos e dois gols.

2018 – João Pedro (Fluminense) = 23 gols
Tido por muitos como a maior revelação tricolor dos últimos anos, o atacante foi vendido para o Watford-ING em 2018, quando ainda tinha 17 anos. O valor inicial foi de apenas 2,5 milhões de euros, mas as partes combinaram bônus que seriam pagos de acordo com o desempenho do jogador, seja no Brasil ou na Inglaterra, para onde foi em dezembro de 2019.

2019 – John Kennedy (Fluminense) = 15 gols
No Tricolor das Laranjeiras desde o sub-15, o jogador de 17 anos foi promovido pelo sub-20, disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2020 (marcou dois gols saindo do banco de reservas) e ainda não teve chances no profissional.

Deixe sua opinião

É futebol de base? Então nada escapa dos meus olhos, seja no Brasil ou no exterior.
Loading...