Loading...

Novos protagonistas tentam manter Fluminense entre os melhores do Brasileirão sub-20

Faltando 5 dias para o início do Brasileirão sub-20, o DaBase.com.br faz a 17ª matéria especial de uma série sobre os participantes do torneio nacional. Hoje, veremos o clube de melhor desempenho histórico no torneio e que conta com uma nova geração de atletas para buscar o bicampeonato: o Fluminense.

Tricolor vem de duas vitórias em clássicos pelo Carioca sub-20. Foto: Mailson Santana/ FFC

O Tricolor tem história no Brasileirão. Apesar de ter batido na trave quando a competição ainda era organizada pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF), com duas semifinais (2009 e 2014) e um vice-campeonato (2011), o clube chegou ao primeiro título logo na edição inaugural realizada pela CBF, em 2015.

O Fluminense tem a maior pontuação geral do torneio, com 114 pontos, nove a mais que o rival Flamengo. A dupla carioca se destaca também no número de gols marcados: ambos os times têm 97  no campeonato. Os números consagram os atacantes tricolores, que já foram artilheiros do Brasileirão duas vezes – Matheus Pato, em 2015, e Evanilson, no ano passado.

Apesar disso, os últimos anos da categoria sub-20 não foram de grandes conquistas. O time amargou eliminações precoces na Copa do Brasil e Copa São Paulo, na qual caiu na segunda fase em 2020, diante do CRB, nos pênaltis. Sem ganhar o Carioca desde 2013, quando foi bicampeão, o Fluminense foi semifinalista do Brasileiro em 2018 e parou nas quartas de final em 2019.

A expectativa para 2020, no entanto, é grande. Isso porque o Tricolor contará com uma geração que acumulou conquistas e promessas nos últimos anos. Especialmente na categoria sub-17, o Tricolor é o atual bicampeão carioca e foi vice da Copa do Brasil em 2018. A geração 2001 e 2002, na visão de Eduardo Oliveira, ganhará o protagonismo em 2020. O técnico da equipe sub-19 falou com exclusividade ao DaBase.com.br.

“Os garotos que faziam o suporte no ano passado terão a oportunidade de serem protagonistas neste ano. O desafio é dar esse estímulo aos meninos, que têm qualidade, mas não estão acostumados a serem protagonistas. É um momento de oportunidade para maturação”

O próprio treinador tem história com esses garotos. Eduardo comandou a equipe sub-17 tricolor nos dois últimos anos e foi promovido para a atual temporada. O Fluminense passou a adotar o limite de idade de 19 anos na equipe, facilitando o acesso dos atletas ao time sub-23, que treina com o elenco profissional no CT Carlos Castilho.

Tricolor foi campeão brasileiro sub-20 em 2015 em cima do Vitória. Foto: Bruno Haddad/ FFC

A retomada do trabalho é positiva. Após a volta das atividades, o Fluminense já fez três partidas no Campeonato Carioca e ainda não sofreu gols. Foram duas vitórias em clássicos, batendo o Botafogo por 1 a 0 e o Flamengo por 2 a 0, na Gávea, além de um empate sem gols com o Bangu. Os resultados são projetados também no futebol profissional.

O aproveitamento dos jovens no time principal é algo comum no Fluminense há muito tempo. O clube revelou dezenas de atletas para o futebol brasileiro na última década, porém vários praticamente não atuaram profissionalmente, como o goleiro Tiago Volpi, os laterais Rafael, Fábio e Marcelo, o volante Fabinho e o atacante Marinho.

Mas, nos últimos anos, o Fluminense deu mais espaço aos jovens, que além de renderem milhões ao clube, também tiveram ótimo desempenho em campo. Casos do zagueiro Ibañez, do lateral Ayrton Lucas, dos volantes Douglas e Wendel, do meia Gerson e dos atacantes Pedro, João Pedro e Evanilson, a mais recente venda.

O projeto continua. Além de destaques do time sub-19 iniciarem suas trajetórias no time principal, como o zagueiro Luan Freitas e o volante André, a base tricolor está representada nas principais opções do elenco, com Marcos Paulo, Miguel, Calegari e Luiz Henrique. A geração 2001 foi exaltada por Eduardo Oliveira, que vê o sucesso do trabalho exemplificado na equipe principal.

“Tem sido muito legal ver que essa geração 2001. no último ano de sub-19, vem sendo aproveitada no profissional. São jogadores que estão a muito tempo no clube, outros já foram até vendidos, como o Marcelo Pitaluga e o João Pedro. Eles sempre foram protagonistas na base, ficamos muito felizes com o sucesso deles”

MOMENTO

O sub-20 tricolor não teve tanto tempo de preparação quanto os rivais Flamengo e Vasco. A equipe voltou aos treinos na terceira semana de agosto sem vários atletas, que vêm treinando com o grupo principal, mas com reforços da categoria sub-17. A volta aos gramados tem sido bem positiva. O clube bateu o Botafogo por 1 a 0 o dia 9, pela segunda rodada do Carioca, e venceu outro clássico, contra o Flamengo, por 2 a 0, fora de casa. Após um empate sem gols com o Bangu, o time ainda pega o Macaé Esportes no domingo (20), às 10h, antes da estreia no Brasileirão, marcada para o dia 23, às 15h, contra o Bahia, nas Laranjeiras.

DESTAQUES

Foto: Felipe Siqueira

Técnico e veloz, o zagueiro Luan Freitas é um dos principais nomes da base tricolor. Presença constante na seleção sub-20 em 2019, o jovem fez parte do primeiro dos dois títulos cariocas sub-17 em 2018 e foi titular logo em seu primeiro ano na categoria de cima. O defensor de 19 anos passou a integrar a equipe sub-23, que treina com os profissionais, e já foi relacionado para dois jogos neste ano – o último na quarta (16), contra o Atlético-GO. Quando não utilizado na equipe principal, ele fará parte do time sub-20, como nos dois clássicos vencidos pelo clube na volta do Carioca.

Foto: Divulgação/ Fluminense

Capitão do time sub-20, André já é conhecido da torcida tricolor. O volante começou a carreira como centroavante, mas foi sendo recuado até se transformar no dono do meio-campo. O jogador também faz parte da geração 2001 e assumiu a titularidade do sub-20 no ano passado. Com passagens pelas seleções de base, o jovem de 19 anos vem sendo relacionado constantemente para os jogos do time principal e fez sua estreia oficial nos minutos finais da vitória sobre o Atlético-GO, pela Copa do Brasil. Assim como Luan, ele poderá ser aproveitado no Brasileirão caso não atue no profissional.

Foto: Mailson Santana/ FFC

John Kennedy é um dos atletas mais cobiçados pelo mercado europeu. O atacante de 18 anos foi o principal nome do bicampeonato carioca sub-17 no ano passado, sendo o artilheiro do torneio, com 15 gols e marcando cinco nas duas finais contra o Flamengo. Promovido ao time sub-20 neste ano, ele foi reserva na Copa São Paulo, mas marcou duas vezes. No entanto, sua permanência no clube é incerta, já que o Benfica demonstrou interesse no jovem e pode levá-lo para Portugal durante o Brasileirão.

 

CRIAS DE XERÉM

A tradição de Xerém é vista no time profissional do Fluminense. O clube, que sempre aposta na base, tem hoje quatro garotos ainda com idade para as competições de base. O lateral Calegari, de 18 anos, subiu diretamente do time sub-17 para a equipe principal e vem sendo titular. Marcos Paulo, de 19, já está no profissional desde o ano passado e é um dos principais jogadores. Miguel, de apenas 17, também subiu em 2019 e é uma das opções mais jovens do elenco. Além deles, o Tricolor tem Luiz Henrique, de 19 anos, promovido neste ano.

VAI FAZER FALTA?

Foto: Reprodução/ Instagram

Campeão mundial sub-17 com a seleção brasileira no ano passado, o goleiro Marcelo Pitaluga era visto como uma das maiores promessas de Xerém. Titular no bicampeonato carioca sub-17 e na Copa São Paulo deste ano, o jogador de 18 anos foi vendido ao Liverpool na semana passada em uma negociação que pode chegar a R$12,5 milhões. Para  seu lugar, o clube contratou Thiago, de 19 anos, vindo do Tubarão-SC, e vem utilizando Pedro Rangel, de 20 anos, nas últimas partidas do Carioca.

COMISSÃO TÉCNICA 

Foto: Divulgação/ Fluminense

O professor Eduardo Oliveira acumula trabalhos dentro e fora do Brasil. Com anos de experiência na coordenação e em ouras funções nas categorias de base, ele chegou ao Tricolor em 2017. Após ser bicampeão carioca sub-17 e colaborar na formação de diversas promessas, o treinador foi promovido ao time sub-20 para a temporada 2020 e, no Brasileirão, terá a seguinte comissão técnica:

Auxiliar Técnico: Alexandre Lopes

Preparador Físico: Vitor Terra

Treinador de Goleiros: Rodrigo Pinheiro

Massagista: Márcio Jacó

CALENDÁRIO

O Fluminense terá que se dividir em dois para cumprir o calendário da equipe sub-20 neste ano. Além do Brasileirão, o time vem disputando o Campeonato Carioca, que retornou no dia 9 e terá rodadas em praticamente todos os meios e fins de semana até o fim do ano. Somente nas datas de Copa do Brasil, a qual o Tricolor não disputa, a equipe terá uma única competição para lidar.

Jogos do Fluminense no Brasileirão:

1ª rodada – 23/09, 15h – Fluminense x Bahia

2ª rodada – 27/09, 15h – Athletico-PR x Fluminense

3ª rodada – 30/09, 15h – Fluminense x Santos

4ª rodada – 04/10, 15h – Fluminense x São Paulo

5ª rodada – 08/10, 16h – Grêmio x Fluminense

6ª rodada – 14/10, 15h – Fluminense x Cruzeiro

7ª rodada – 18/10, 15h – América-MG x Fluminense

8ª rodada – 25/10, 15h – Sport x Fluminense

9ª rodada – 31/10, 15h – Fluminense x Internacional

10ª rodada – 04/11, 15h – Corinthians x Fluminense

11ª rodada – 08/11 – Botafogo x Fluminense

12ª rodada – 14/11 –Fluminense x Goiás

13ª rodada – 22/11 – Palmeiras x Fluminense

14ª rodada – 25/11 –Fluminense x Vasco

15ª rodada – 29/11 –Vitória x Fluminense

16ª rodada – 02/11 – Fluminense x Chapecoense

17ª rodada – 06/11 – Atlético-MG x Fluminense 

18ª rodada – 13/11 – Fluminense x Flamengo

19ª rodada – 20/11 – Ceará x Fluminense

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...