Loading...

Imbatível no badminton, revelação do Aliança dá novos passos rumo ao futebol profissional

O intercâmbio entre esportes é uma característica importante na formação dos estudantes como atletas. Na escola, é possível praticar diversas atividades e encontrar sua aptidão em uma delas. Mas quando o garoto é talentoso, ele pode desempenhar em várias práticas.

Pedro Jobson foi artilheiro no Aliança. Foto: Reprodução/ Instagram

A história de Pedro Jobson no esporte começou assim. Nascido em Tabuleiro, parte alta de Maceió, o jovem deu seus primeiros passos com a bola na infância, em uma quadra próxima à sua casa. Mas foi no Colégio D’lins que ele se desenvolveu como um verdadeiro atleta.

Em entrevista exclusiva ao DaBase.com.br, Pedro relembrou os tempos de escola e contou como se tornou imbatível no badminton.

“Na escola, joguei Vôlei e Badminton desde os 12 anos de idade. Conquistei duas vagas para os Jogos Estudantis Nacionais pelo Vôlei e seis vagas no Badminton. Nunca perdi um campeonato de badminton na vida. Já fiquei em 4º lugar no Brasileiro e caí nas quartas no Vôlei nas duas vezes que participei” – Pedro Jobson.

Campeão nos Jogos de Alagoas, Pedro Jobson via nos esportes olímpicos uma oportunidade para se divertir com os amigos e viajar para competir. Mas quando o futebol se tornou algo mais sério e competitivo, ele precisou abrir mão para se dedicar. E valeu a pena.

Após um ano no time sub-15 do CSA, em Maceió, o garoto viveu um momento difícil ao ficar um ano sem clube. Mas ao chegar ao Santa Cruz-AL, sua carreira foi impulsionada por Geovane do Nascimento. O treinador colaborou na evolução do atacante durante os seis meses de sua passagem por lá.

Pedro Jobson foi campeão estadual no badminton. Foto: Arquivo Pessoal

O técnico assumiu o sub-17 do Desportivo Aliança e trouxe o garoto para o clube. Pedro Jobson se tornou um dos artilheiros do Alagoano Sub-17 de 2021, com cinco gols. Quem detalha o futebol do garoto é Geovane, que também falou com exclusividade ao DaBase.com.br.

“Pedro é atacante forte, de área, tem 1.85m, muito brigador, com boa definição de perna direita. Ele tem um potencial gigante. Dentro e fora de campo, é um exemplo de atleta, comprometido, não falta aos treinos, não se lesiona. Vejo um prognóstico gigantesco adiante, pois ele dispõe de uma característica que falta no futebol brasileiro. Hoje, há uma dívida na camisa 9 da Seleção, e ele tem as características de um camisa 9 de muita qualidade” – Geovane Nascimento.

Da base aso profissional

O bom desempenho no Alagoano Sub-17 levou Pedro Jobson à Copa São Paulo. Em seu primeiro ano no sub-20, o jovem fez três partidas – uma como titular – e marcou um dos gols da vitória por 3 a 0 sobre o Andirá. A classificação não veio por pouco, mas a competição foi fundamental para o atleta ser visto nacionalmente.

“A Copinha é um grande celeiro de craques. Peguei muita experiência sendo atleta jovem, no meu primeiro ano de sub-20. Pude jogar contra bons times e grandes como o Atlético-MG, não passamos da primeira fase por causa de detalhes. Mas foi uma ótima experiência poder jogar a maior competição de base do Brasil”, comentou Pedro Jobson.

O atacante, assim como boa parte do elenco, foi promovido ao time principal, que ficou com o vice-campeonato da Copa Alagoas. Observado pelo empresário Wallace Castro, que viu potencial no atacante para atuar no futebol paulista. Apesar das sondagens do Atlético-MG, a proposta que tirou o jogador do Aliança foi a do Taubaté. O empresário elogiou a postura do jovem e falou sobre o negócio.

“Vi que ele tem condições para disputar o sub20 em São Paulo. O Taubaté é um clube que sempre monta bons elencos e tem uma base forte em relação aos clubes do interior. O Pedro é um menino humilde, trabalhador, sabe o que quer, é focado e sempre querendo mais. Ele viu com bons olhos a oportunidade de sair de Maceió e vir para São Paulo”, explicou.

Pedro Jobson assinou contrato profissional com o Aliança. Foto: Arquivo Pessoal

Ao lado de Pedro Jobson desde o período no Santa Cruz-AL, Geovane também vê o garoto no caminho certo em sua ida para o Taubaté.

“Ele está indo para um clube importante de São Paulo, vão aparecer grandes coisas para ele. Ele está comigo desde os 16 anos, aproveitou as oportunidades, fez gol na Copinha. É um mérito total do atleta, pela dedicação, comprometimento, condições físicas, técnicas e táticas, tornam ele diferenciado dos demais”, destacou.

Enquanto aguarda o momento de assinar com o clube paulista até janeiro de 2023, Pedro também firmou vínculo profissional com o Aliança. Com Pedro e Cristiano Ronaldo como inspirações, o garoto já pensa na próxima Copa São Paulo e não tem medo de sonhar alto na carreira.

“Minha expectativa é boa, só falta assinar contrato com o Taubaté. Quero fazer um bom Paulista Sub-20 e a Copinha de 2023, já estou pensando nela. Quero dar uma condição melhor para a minha família, jogar em alto nível, em um clube grande dentro e fora do Brasil, dar continuidade à minha carreira. Temos que sonhar alto, persistir no sonho”, finalizou.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...