Loading...

Exclusivo: Wesley Assis relata motivos de sua saída do comando do sub-20 do Tupi-MG

Em declaração dada com exclusividade para o DaBase, por intermédio da assessoria de imprensa, o técnico Wesley Assis informou o real motivo de sua saída do comando do time sub-20 do Tupi-MG, onde conquistou o vice-campeonato mineiro em 2019, vaga na Copa do Brasil da categoria de 2020 e levou o Galo Carijó à inédita terceira fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior este ano.

Wesley Assis preferiu não seguir no Tupi (Foto: InterMédio Sports)

“Realmente, a saída se deu por incompatibilidade de ideias. Fizemos inúmeras reuniões antes de firmar o acordo, só que, ao chegarmos em São Lourenço, tudo estava distante do que foi conversado. A diretoria havia me passado um projeto a longo prazo, eu sabia das nossas limitações em alguns aspectos, mas a veia competitiva e o alto rendimento no sangue fazem parte de mim. Só que além de estar na minha veia é preciso se organizar e ter uma conduta correta para que os resultados aconteçam, literalmente, para que a bola entre. Em 2019, mesmo com o vice estadual, já não havia tido estrutura”, disse o treinador.

Ele reafirmou que, apesar de tudo fluir bem no aspecto competitivo, o extra-campo deixava a desejar. “Mesmo com uma grande reformulação no elenco de 2019 para cá, já que apenas três atletas participaram do Mineiro Sub-20 e precisamos trazer reforços, as coisas estavam caminhando dentro de campo. Infelizmente, fora de campo as ideias não se encaixaram. Ficamos 15 dias em São Lourenço, com 11 de trabalho. Dava para conseguir a classificação no Pará. Mesmo respeitando o Bragantino, a expectativa era a melhor possível por não enfrentar uma equipe grande no cenário brasileiro, um clube de Série A”, detalhou.

Wesley Assis, por fim, elencou os fatores principais de sua saída do Tupi. “E foi esse conjunto que pesou para eu não continuar: a estrutura, a valorização profissional, os objetivos distintos e a conduta. Como tinha dito: tenho valores que aprendi no esporte e principalmente com meu pai que não posso abrir mão. Ano passado foram bem ruins algumas situações no clube e não quero trabalhar com esse tipo de gestão novamente. Agora, é hora de buscar novos ares e novos objetivos! É um clube que eu tenho muito carinho, gratidão e respeito. Agradeço a eles por acreditarem no meu trabalho enquanto estivemos juntos”, finalizou.

 

Deixe sua opinião

É futebol de base? Então nada escapa dos meus olhos, seja no Brasil ou no exterior.
Loading...