Loading...

ESPECIAL BRASILEIRÃO SUB-17: com novas caras, Cruzeiro coloca reformulação à prova

A quarta matéria da série especial do DaBase.com.br sobre o Brasileirão Sub-17 traz um clube que vem reformulando as categorias de base. O Cruzeiro terá novas caras na comissão técnica e no elenco em busca de evolução e revelações necessitadas pelo profissional.

Cruzeiro terá elenco sub-17 renovado e com nova comissão técnica. Foto: Rodolfo Rodrigues/ Cruzeiro

O clube teve dificuldades nas competições de base em 2020. Com muitos atletas cedidos ao profissional e saídas, vários jovens do time sub-17 foram para a equipe sub-20, provocando resultados ruins. Além da penúltima colocação no Brasileirão Sub-20, a Raposa caiu na primeira fase do torneio sub-17 e da Copa do Brasil da categoria, perdendo para o Grêmio Santo Antônio-MS nos pênaltis.

O histórico do time sub-17 traz duas eliminações na primeira fase do Brasileirão, com campanhas idênticas: duas vitórias, dois empates e cinco derrotas. A equipe é a atual campeã mineira – título conquistado em 2019 – e tem nas semifinais sua melhor campanha na Copa do Brasil, alcançada em 2016. Quando o torneio era organizado pela FFES (Federação de Futebol do Espírito Santo), o clube foi campeão, no ano de 2011.

Para 2021, o objetivo é ter um time mais competitivo, que brigue pelos resultados e resgate o estilo cruzeirense de jogar futebol. É o que garante o técnico Mário Henrique, que falou com exclusividade ao DaBase.com.br.

“Estamos chegando com um projeto de mudança de alguns comportamentos. A gente sabe que o Cruzeiro é muito bem representado todos os anos com suas equipes, e a sub-17 não vai ser diferente. Temos um método de trabalho muito competitivo, com uma equipe muito organizada em todas as fases do jogo. São atletas em processo de formação, com bom entendimento e qualidade técnica. Mas só isso não é suficiente hoje em dia”, disse.

“Por isso o Cruzeiro vem muito forte mentalmente, um time que vai buscar a todo momento o gol adversário, com superioridade numérica em todos os setores, ser fortes em cada momento de jogo. Vamos pegar equipes fortes, mas sobretudo teremos competitividade, entrega, fazer com que os atletas sintam a camisa do Cruzeiro e possam honrá-la, assim como nós da comissão técnica, resgatar a história do Cruzeiro, de uma equipe que tem amor pelo jogo”.

Equipe sub-17 disputa torneio amistoso em Belo Horizonte. Foto: Rodolfo Rodrigues/ Cruzeiro

O treinador é uma das novidades no clube. Com passagens por Mirassol, Internacional e Cuiabá, o profissional chegou no início da temporada para começar o trabalho com um elenco jovem e modificado em relação a 2020. Para ele, as semanas de treino já mostram uma evolução física e tática do grupo, propiciada pela diretoria.

“Nesse curto período de trabalho, o que mais me chamou a atenção foi o comprometimento, a entrega dos atletas, condicionadas a nosso modelo de jogo e trabalho. Estamos muito contentes com a resposta diária, a equipe evoluiu mto no físico e no tático. Isso é mérito do clube, que não tem medido esforços para que posamos trabalhar tranquilamente, desenvolver nossa metodologia”, destacou.

Além do discurso de recuperação da história do clube e a identificação dos atletas com a camisa celeste, um dos objetivos atuais é deixar os atletas mais preparados para o elenco principal. Com um técnico que gosta de aproveitar a base na equipe de cima – Felipe Conceição -, alguns nomes já foram pinçados. Caso do zagueiro Weverton, nascido em 2003 e um dos nomes que deixou o sub-17 nesta temporada.

Assim como o defensor, outros jovens de destaque deixaram a categoria, como o goleiro Rodrigo Bazílio, o lateral Danilo (ambos com passagens pelas seleções de base), os volantes Marcos Vinícius e Henrique e os atacantes Cássio e Wesley, além do meia Riquelmy, nascido em 2004 e já presente no sub-20

Para Mário Henrique, a utilização da base nas categorias de cima é um mérito do trabalho, gerando oportunidades para os mais jovens mostrarem seu valor.

“O processo de reformulação se faz necessário, principalmente no início de temporada. Isso é uma oportunidade para os profissionais da base, pois estimula os atletas a entenderem que a evolução levará a oportunidades. Queremos estimular em todos os sentidos para que eles possam estar preparados quando forem solicitados. Para mim, não transfere, pois toda vez que precisamos ceder uma atleta ao sub-20 ou ao profissional, mostra que estamos no caminho correto”, concluiu.

DESTAQUES

Nakamura. Foto: Reprodução/ Instagram

Nakamura

Não é apenas o sobrenome asiático que chama a atenção: o lateral-esquerdo Nakamura também se destaca com a bola nos pés. O jogador de 17 anos vai para a sua segunda temporada no time sub-17 como uma referência no time, além da qualidade nas bolas paradas. O jovem marcou quatro gols no Mineiro Sub-15 de 2019 e, no ano passado, foi titular em sete dos dez jogos da Raposa.

 

João Wellington. Foto: Reprodução/ Instagram

João Wellington

O meia João Wellington também tem um histórico na base celeste. O jogador de 17 anos fez parte do elenco vice-campeão mineiro sub-15 em 2019 e integrou a equipe sub-17 no ano passado, quando fez seis partidas – duas como titular. Ele também foi relacionado para um duelo do time sub-20, chegando a 2021 com mais espaço e sendo uma das principais apostas criativas da Raposa.

 

Vitor Roque. Foto: Reprodução/ Instagram

Vitor Roque

Aos 16 anos, Vitor Roque é um dos atletas mais promissores da base celeste. O jovem chegou ao Cruzeiro em 2019, após ser o  artilheiro do Mineiro Sub-14 de 2018, com oito gols, pelo América-MG. A troca, no entanto,  parou na justiça após denúncias de aliciamento e uma peneira falsa. Passado o imbróglio, ele marcou mais cinco vezes pela equipe sub-15 antes de chegar ao sub-17 no ano passado, disputando dois jogos do Brasileirão com apenas 15 anos.

TÉCNICO

Mário Henrique. Foto: Rodolfo Rodrigues/ Cruzeiro

Mário Henrique

Mário Henrique chegou ao Cruzeiro para a temporada de 2021. O técnico acumula passagens pelas equipes sub-20 do Internacional e do Mirassol, além de ter trabalhado como treinador da categoria e auxiliar do time profissional do Cuiabá em 2020. Ele substitui Fábio Brostel, fazendo parte da reformulação promovida na base cruzeirense.

Auxiliar Técnico: Careca

Preparador Físico: Bruno Paglioli

Treinador de Goleiros: Francis de Castro

ÚLTIMOS RESULTADOS

O Cruzeiro vem de um ano difícil na categoria sub-17, com quedas na primeira fase do Brasileirão e da Copa do Brasil. A equipe, porém, é a atual campeã mineira (título conquistado em 2019). Na Copa do Brasil, o clube tem como melhor campanha as semifinais de 2016 – na Era CBF – e o título em 2011, quando o torneio ainda era organizado pela FFES. Na Taça BH, com o limite de 17 anos, a Raposa nunca passou das oitavas de final.

A CBF ainda não divulgou a tabela do Brasileirão Sub-17 de 2021. O torneio está previsto para o dia 23 de março.

 

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...