Loading...

ESPECIAL BRASILEIRÃO SUB-17: Chapecoense aproveita pausa e sonha com classificação

A 19ª matéria da série especial do DaBase.com.br sobre o Brasileirão Sub-17 traz um dos clubes que mais comemorou o adiamento da competição. A Chapecoense, que suspendeu os treinos devido à pandemia de COVID-19, quer aproveitar o maior tempo de preparação para tornar o sonho da classificação mais próximo.

Chapecoense vem de resultados ruins no Brasileirão Foto: Divulgação/ Chapecoense

O clube disputou as duas primeiras edições do Brasileirão, mas não conseguiu grandes resultados. Em 2019, foram duas vitórias, dois empates e cinco derrotas, ficando na oitava posição do Grupo B. Já no ano passado, a equipe foi a nona colocada do Grupo A, com apenas uma vitória, dois empates e seis derrotas, incluindo duas goleadas sofridas por 7 a 0.

Nos últimos anos, contudo, a Chapecoense conseguiu se destacar com duas campanhas na Copa do Brasil, parando nas quartas de final em 2016 e nas semifinais no ano seguinte, quando o atacante Bruno Silva – hoje no time profissional – foi o artilheiro da competição.

Além disso, o clube tenta se firmar como uma das principais forças do estado. Dividindo a segunda posição do Ranking DaBase em Santa Catarina e a sétima da Região Sul com o Criciúma, o Verdão conquistou o Estadual Sub-17 em 2015 e foi vice em 2017.

Para 2021, o objetivo é novamente surpreender e se destacar em cenário nacional. O técnico Yan Razera, que falou com exclusividade ao DaBase.com.br, ressaltou as dificuldades, mas disse que a meta é chegar às quartas de final.

“Queremos dispute todos os jogos de igual para igual com todas as equipes da chave. A gente espera que os atletas consigam desenvolver o melhor, ganhamos mais uma folguinha na preparação com o adiamento do torneio. Isso nos dá mais tempo para organizar a equipe para buscar a classificação para a próxima fase. É muito difícil, mas temos que tentar, é o grande objetivo nesse momento”, comentou.

O treinador conhece a base, dentro e fora de campo. Yan foi campeão mundial sub-20 pela Seleção Brasileira em 1993, como atleta. Depois de passagens por diversos clubes brasileiros, ele se tornou técnico e foi vice-campeão catarinense sub-15 em 2019, utilizando boa parte da geração 2004 e 2005 que integra o elenco atual.

Sub-15 condá ficou com o vice-campeonato catarinense em 2019. Foto: Rafael Pedroso/ ACF

Ele assumiu a equipe sub-17 no início da temporada, mas teve um desafio extra em seu trabalho. O clube suspendeu os treinos da categoria devido ao aumento de casos de COVID-19 no estado. O pouco tempo de preparação para o Brasileirão, no entanto, foi atenuado com o adiamento do torneio para abril O treinador celebrou a mudança e apontou o que será trabalhado nesse período.

“As dificuldades da pandemia são para todos. Ganhamos alguns dias para a preparação da equipe, ao meu ver e de todos isso vai ser importante e fundamental para o desempenho. Se fosse na semana que vem, teríamos mais dificuldades, com praticamente quatro dias de treinamentos. Com a paralisação, os treinos seguem, podemos dar uma cara melhor para a equipe, na forma física, podemos equilibrar todos do grupo para podermos utilizá-los”.

Além de dar prosseguimento aos seus talentos, a Chapecoense também aposta em negociações para lucrar com vendas futuras. Nomes como Cella e Arthur deixaram o time sub-17 no início da última temporada para defender o Athletico-PR. Já o atacante Luis Felipe, artilheiro da equipe sub-15 em 2019, foi para o Flamengo e hoje defende o Atlético-MG.

Há também o rápido aproveitamento dos destaques da base. O zagueiro Tiago, que soma convocações para a Seleção Brasileira Sub-17, já foi promovido ao sub-20 e foi relacionado para as rodadas iniciais do Catarinense profissional.

O desenvolvimento desses garotos é um dos pilares do clube e algo que é determinante para o técnico Yan Razera. Ele destacou que a subida às categorias de cima é o objetivo individual de cada jovem.

“Naturalmente vai se passando os anos, eles recebem mais informações, a categoria sub-17 é uma lapidação do que vem pela frente. Procuramos dar mais conteúdo, chamar a atenção deles para o passo ao profissional. Os atletas, em sua grande maioria, já estão lá nessa idade. E o desenvolvimento deles é de acordo com o que eles produzirem com a equipe. A gente sabe que o futebol depende do coletivo, mas o objetivo individual é chegar ao profissional. Esperamos que somando esses dois pontos, eles possam subir ao sub-20 e chegar ao profissional.

DESTAQUES

Catafesta. Foto: Júlia Galvão

Catafesta

João Victor Catafesta ganhou seu espaço em campo e não saiu mais. O volante de 16 anos começou o último Brasileirão como reserva, mas entrou aos 37 minutos do primeiro tempo da estreia, diante do América-MG, e virou titular absoluto. Ele jogou os 90 minutos dos oito jogos seguintes e chega a 2021 como uma das referências do meio-campo condá.

 

Matheus Badá. Foto: Júlia Galvão

Matheus Badá

Outro atleta que ganhou espaço durante o Brasileirão foi o meia Matheus Badá. O jogador de 16 anos foi reserva nas rodadas iniciais, mas entrou e se firmou como titular, fazendo seis partidas no último Brasileirão. Ele marcou um dos gols na única vitória da equipe, sobre o Botafogo, e mostrou talento para marcar e atacar, característica que deve seguir mostrando em 2021.

 

Eli. Foto: Reprodução/ Instagram

Eli

O atacante Eli tem histórico de goleador na base condá. O jogador de 16 anos foi o vice-artilheiro da equipe no Catarinense Sub-15 de 2019, com sete gols anotados. Promovido à equipe sub-17, ele se destacou em seu primeiro ano, com quatro jogos disputados, além de ter feito uma partida na Copa São Paulo e outra no Brasileirão Sub-20, trazendo experiência para o time em 2021.

 

TÉCNICO

Yan Razera. Foto: Reprodução/ Instagram

Yan Razera

Hoje técnico, Yan Razera tem longa experiência em campo, principalmente na base. Ex-atleta, ele foi campeão mundial sub-20 pela Seleção Brasileira em 1993, além de passar por Vasco, Fluminense, Flamengo, Internacional e outros clubes. Ele foi treinador do time sub-15 da Chapecoense em 2019 e assumiu o comando da equipe sub-17 neste ano.

Preparador Físico: Matheus Jordan

Treinador de Goleiros: Andrei Strapazzon

ÚLTIMOS RESULTADOS

A Chapecoense teve resultados ruins nas duas edições do Brasileirão Sub-17, ficando na oitava posição do Grupo B em 2019 e na nona colocação do Grupo A no ano passado. O clube tem no histórico duas campanhas de destaque na Copa do Brasil, parando nas quartas de final em 2016 e nas semifinais do ano seguinte. No âmbito estadual, o Verdão do Oeste conquistou o Catarinense em 2015 e foi vice em 2017.

ESTREIA DEFINIDA

A CBF definiu na última terça (09) os grupos e a tabela detalhada das primeiras rodadas do Brasileirão Sub-17. O Verdão do Oeste está no Grupo B, ao lado de Athletico-PR, Atlético-MG, Corinthians, Fluminense, Fortaleza, Internacional, Santos, Sport e Vasco.

A equipe estreia no dia 10 de abril, sábado, às 15h, diante do Sport, fora de casa, em local a definir.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...