Loading...

Dispensado por indisciplina, Pedro Bicalho acerta com o Palmeiras; Cruzeiro estuda futuro de outros três

O Palmeiras acertou a contratação do volante Pedro Bicalho, de 19 anos. O jogador foi dispensado pelo Cruzeiro após atos gravíssimos de indisciplina há cerca de dez dias, em Chapecó. após uma derrota da equipe sub-20.

Pedro Bicalho defenderá o Palmeiras na Copinha. Foto: Divulgação/ Mineirão

O jovem defenderá a equipe sub-20 palmeirense na Copa São Paulo do ano que vem e terá um contrato com metas para sua promoção ao time principal. Como já defendeu a equipe mineira no Brasileirão, ele não poderá atuar com a camisa palmeirense no torneio.

Pedro Bicalho esteve na mira de outros clubes brasileiros, como Atlético-MG, Corinthians, Vasco e Vitória, além de times do mundo árabe e doa Estados Unidos. Ele tinha contrato com o Cruzeiro até abril de 2021 e negociava sua renovação, mas encerrou as conversas após a dispensa. A rescisão do jovem foi publicada no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF na última quinta (12).

Bicalho era capitão da equipe sub-20 celeste, pela qual havia feito nove jogos no Brasileirão. Ele se destacou na Copa São Paulo deste ano e foi promovido ao elenco principal no início da temporada, onde fez seis jogos e marcou um gol.

Situação dos dispensados

Além de Pedro Bicalho, o Cruzeiro puniu outros cinco atletas pelo incidente em Chapecó. O zagueiro Gustavo Medina e o atacante Choco, que estavam no clube por empréstimo, foram devolvidos aos seus clubes de origem.

Alexandre Jesus é um dos envolvidos com o futuro em aberto. Foto: Pedro Vale

Já outros três atletas, que têm contratos mais longos com a Raposa, possuem o futuro em aberto. São eles o lateral Israel, o volante Guilherme Liberato e o atacante Alexandre Jesus. Segundo o diretor das categorias de base cruzeirenses, Gustavo Ferreira, em contato com o GE, um atleta deve ser reintegrado e outros dois emprestados. Ele manteve os nomes em sigilo.

“Vamos tomar as atitudes de acordo com a conduta de cada. O que é primário, provavelmente retorna. Os outros dois vamos buscar um caminho bom para o Cruzeiro, bom para o atleta, para que ele aprenda com esses erros que cometeram, que possam ser atletas melhores. – (esse caminho bom) pela questão de sucessão de fatos, a gente não vê possibilidade. Vamos estudar, mas a tendência que seja empréstimo, um caminho que possibilite o atleta recomeçar. Ninguém aqui é executor de nada. A gente, realmente, precisa pensar na formação, trabalhamos com mais de 300 atletas, mas essa situação ficou inviável a relação”, disse.

“A gente lamenta muito essa situação. Nós, como formadores, não queríamos. Eu, particularmente, me empenhei muito no relacionamento com os atletas. Eles participaram na elaboração do nosso regulamento. Foi sempre colocado que eles seriam exemplos para outros atletas. Hoje temos mais de 300 atletas na categoria de base. Eles tinham papel fundamental na reconstrução. Dariam palestra para outras categorias. O Cruzeiro lamenta muito, ficamos muito chateados”, finalizou.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...