Loading...

Após títulos em 2019, Rhyan Oliveira mira adaptação e conquistas no Atlético-GO

Passar o ano invicto, ganhar dois títulos estaduais e ser contratado por um novo clube: o último ano do meia Rhyan Oliveira foi de emoções e conquistas profissionais. Após um 2019 vitorioso no Porto Vitória-ES, o jovem de 17 anos é uma das apostas da equipe sub-17 do Atlético-GO para esta temporada.

Rhyan chegou ao Atlético no início deste ano. Foto: Arquivo Pessoal

Natural de Teixeiras,, município de pouco mais de 10 mil habitantes localizado na Zona da Mata de Minas Gerias, Rhyan veio de uma família humilde e muito ligada ao futebol. Seu pai e seu avô já haviam jogado por times da região e o sonho de ser jogador já existia desde a infância.

Após começar a sua trajetória na Escolinha do Ismael, perto de sua casa, sua grande oportunidade surgiu em um torneio realizado na região com as presenças de América, Atlético e Cruzeiro. O garoto se destacou e foi chamado pelo Coelho para fazer testes e atuar no time sub-15.

Foi na equipe mineira que ele viveu um dos momentos mais especiais de sua carreira até o momento, como contou o próprio meia em entrevista exclusiva ao DaBase.com.br.

“O dia mais marcante foi quando fui campeão da Cruzeiro Cup, em cima do Cruzeiro, foi muito emocionante. Minha família foi assistir essa final, mas eu não sabia que eles iam lá ver. Quando cheguei na Toca da Raposa, eles estavam lá para ver”, disse.

Depois de um ano no América, Rhyan foi dispensado. Mas ele não desistiu. Ganhou uma oportunidade no sub-17 do Porto Vitória, onde foi fundamental nas campanhas dos títulos do Capixaba e da Copa ES. Com as conquistas de forma invicta e o destaque, o meia foi observado pelo Atlético-GO, onde chegou neste ano como uma aposta para o time juvenil.

Rhyan foi campeão do Capixaba e da Copa ES pelo Porto Vitória. Foto: Arquivo Pessoal

O jovem, que se inspira em nomes como Gérson, do Flamengo, e Fabinho, do Liverpool, vem atuando de forma diferente no clube goiano. Após jogar pelos lados no Porto Vitória, ele passou a ocupar mais a faixa central do campo, seja como volante ou meia.

Veloz e com muita qualidade no passe, Rhyan foi elogiado pelo seu técnico, Alan George. Segundo o comandante do time sub-17 rubro negro, o meia é extremamente aplicado e joga com alegria quando tem a bola.

“Rhyan é aplicado, tem um comportamento exemplar fora de campo, sempre motiva o grupo, é focado, determinado, escuta todas as orientações que passo e cumpre todas as funções táticas. Sempre se cobra e corrige os erros quando acontecem”, destacou.

“Ele procura se posicionar bem, tem alegria com a posse de bola, dribles rápidos, chega muito ao ataque como meia ofensivo, faz tabelas, finalizações. Sempre que peço algo de marcação ele cumpre bem. Atuou com regularidade na estreia da temporada, no Campeonato Goiano. É um exemplo para todos e tende a evoluir muito”

Atlético-GO estreou no Goiano sub-17 com vitória. Foto: Divulgação/ ACG

A estreia, citada por Alan George, foi a única partida oficial disputada pelo meia com a camisa do Dragão. Rhyan foi titular na vitória do Atlético sobre o Itumbiara, por 2 a 0, no dia 16 de março, antes da interrupção do Goiano sub-17 devido à pandemia do novo coronavírus. O meia voltou para casa, no interior de MG, e vem fazendo treinos virtuais com o clube e em um campo da cidade.

“Estou muito focado nos treinos para me manter titular. Faço os treinamentos virtuais do clube três vezes por semana e aqui no campo da cidade também, mas não é a mesma coisa. Também temos apoio da psicóloga do Atlético, já que a dificuldade pode ser física ou mental”, contou.

De acordo com o jovem, o Atlético já planeja a volta das atividades presenciais das categorias de base, podendo retomar os treinos em agosto, mas com algumas peculiaridades. O alojamento, por exemplo, não deve ser utilizado. Com isso, o clube pode levar os atletas para hotéis ou pensões, evitando assim aglomeração.

Mirando um contrato profissional em 2020, Rhyan finaliza dizendo que seu sonho, desde a infância, é ajudar sua família com o sucesso na carreira. “Quero ser um profissional, jogar fora do pais, dar uma condição boa para minha família, ajudar o próximo e, quando aposentar, continuar no futebol”, concluiu.

Deixe sua opinião

Jornalista apaixonado por qualquer espécie de futebol
Loading...